Associação Brasileira dos Profissionais de Educação Física e Esporte

Faça seu Login

Quem vê seu Antônio em pé, não imagina as dores que ele sente

29/11/2017.Com problemas na coluna ele encontrou alívio nos alongamentos ensinados no Avenida Saúde

Quem vê seu Antônio em pé, não imagina as dores que ele sente

Quem tem problema no nervo ciático sabe como a dor incomoda. E é justamente com essa dor que o senhor Antonio Maggielli, de 68 anos de idade convive diariamente.

Comerciante e morador da zona leste de São Paulo, Antônio soube do projeto Avenida Saúde e procurou uma orientação para amenizar suas dores.

Diagnosticado como problemas na coluna a cerca de dois anos tem dores crônicas, popularmente conhecidas como dores no ciático que, as vezes, o impede de exercer suas atividades profissionais: “tem dias que não consigo nem sair da cama”, disse o comerciante.

O nervo ciático sai da coluna, passa pelo bumbum e inerva as pernas. Quando comprimido, inflama e gera dor. As causas mais comuns da dor no ciático são a hérnia de disco (quando o disco da coluna se rompe. Na maioria das vezes é um pinçamento leve e melhora em seis semanas e síndrome do piriforme, músculo que fica no bumbum (quando se contrai, pode pinçar o nervo, causando a inflamação e dor).

A dor no ciático dura cerca de seis semanas. Quando isso não acontece, existem tratamentos com anti-inflamatório e analgésico, radiofrequência, injeção de anestésico, fisioterapia analgésica (dor crônica) e fisioterapia fortalecedora (após a dor crônica). A hérnia de disco deve ser tratada quando há sintomas.

A orientadora física do projeto Avenida Saúde no Parque Ceret, Carolina Preccaro, disse que o senhor Antônio no primeiro dia que procurou o projeto falou de suas dores e, após uma anamnese feita pela equipe foram recomendados alguns alongamentos para diminuir as dores. “O seu Antônio vem todos os dias no projeto para que os ajudemos com os alongamentos pois irá continua-los sozinho em casa”, disse Carolina.

É muito comum quem sofre de dor na coluna tomar muito medicamento sem a indicação do médico. Entretanto, eles podem mascarar um problema mais sério e piorar a dor. Se a dor persistir por mais de 3 meses, é sinal de que se tornou crônica. O excesso de anti-inflamatórios pode ainda prejudicar o estômago, o intestino, o fígado, e, principalmente, os rins.

Seu Antônio faz acompanhamento médico para o problema na coluna, mudou seus hábitos alimentares e pratica caminhada sete vezes por semana: “Tive que mudar algumas coisas em minha rotina para voltar a ter qualidade de vida. Problemas de coluna acompanham a minha família. Minha irmã sofre do mesmo problema. Ao fazer minhas caminhadas diárias aqui no parque e conhecer o projeto Avenida Saúde, descobri que posso aliviar as dores com alongamentos e exercícios. Com certeza os continuareif fazendo em casa”, disse o comerciante.

O projeto Avenida Saúde, uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação com execução da Abrapefe teve seu início no dia 18 de novembro e vai até o próximo final de semana, 03/12, no Parque Ceret e no Centro Esportivo Jardim São Paulo. É gratuito para todos os participantes e funciona entre as 9h e 15h.

 
 

Benefícios do Clube +

HARPER CORRETORA DE SEGUROS

DESC. 30% PARA ASSOCIADOS

Ícone Editora

25% de desconto para Associados

Império Pilates

5% de desconto para Associados

CELAFISCS

10% de desconto na inscrição do simpósio

PROFIT SHOP

Desc. 10% para Associados

Associação Brasileira dos Profissionais de Educação Física e Esporte

Nossos contatos

11 3855.2438

contato@abrapefe.org.br